A testosterona é importante na vida das mulheres?

A testosterona é importante na vida das mulheres?


Compartilhe

Quando se fala em reposição de testosterona em mulheres há um tabu muito grande gerado pela sociedade, pela medicina e pelas próprias mulheres, com base em uma desinformação. Afinal, tal hormônio tem um valor maior do que se imagina para o corpo feminino.

 

Testosterona e a mulher

É fato que quando se inicia uma discussão sobre a aplicação desse hormônio no sexo feminino, muitas pessoas divulgam uma visão extremamente errada, ao pensarem instantaneamente em mulheres bastante musculosas ou extremamente masculinas.

 

Porém, a verdade é que a prescrição desse hormônio na mulher não só tem diversas causas, como também traz vários benefícios para ela.

 

As mulheres têm mais ou menos de 8 a 12 vezes menos testosterona que os homens; mas isso não significa que ela seja de 8 a 12 vezes menos importante para as mulheres. O uso desse hormônio é importante e necessário para ambos os sexos; mesmo que hoje a mulher viva uma epidemia de baixa do hormônio.

 

A mulher moderna 

 

Atualmente, a mulher moderna precisa ter cada vez mais testosterona para enfrentar seus problemas diários. Por exemplo,o próprio uso do anticoncepcional leva a uma queda do hormônio, uma vez que ele causa um bloqueio hormonal, onde não há somente o bloqueio da testosterona, como de todos os outros derivados dela.

 

As mulheres que fazem terapia de implante hormonal, que precisam fazer algum tratamento do tipo, possuem um bloqueio hormonal como se fosse uma menopausa química hormonal provocada por esses implantes sintéticos, e após essa terapia é necessário rever quais são os níveis ótimos de testosterona dessas mulheres.

 

Mulheres que precisam fazer terapia hormonal para engravidar, mulheres que fizeram qualquer tipo de terapia hormonal, precisam ser investigadas quanto a testosterona.

 

Mas também há mulheres que não fizeram nenhuma terapia hormonal, e que vivem um dia-a-dia muito estressante, uma rotina muito puxada, uma atividade laboral exigente, uma família exigente, uma sociedade exigente.

 

Isso causa o pico de de cortisol, um hormônio que é contrário da testosterona. Quanto mais eu causo um pico de cortisol pelo estresse, mais deletéria eu vou ter a testosterona.

 

E a mulher que tem menos testosterona, terá a paz frágil demais, mais medo e com mais tendência para a depressão. O hormônio também aumenta a libido, aumentando o desejo sexual, e consequentemente, aliviando a tensão diária que muitas enfrentam.

 

Hormônios, sexo e a vontade de viver!

 

Porém, também é importante ressaltar que o uso de hormônios  não se resume a sexo. Se trata de vida! Principalmente quando falamos da testosterona que dá empoderamento às mulheres!

 

Quando regulada, ela age influenciando a vontade de vencer, a vontade de enfrentar, de lutar, de mudar de situações, de mudar de vida, de se firmar. Todos esses fatores acabam dependendo exclusivamente desse hormônio.

 

É claro que fatores multifatoriais, ambientais, psicológicos, devem ser vistos também, principalmente na questão do sexo. Mas quando todo um ambiente está ajustado, e a testosterona está desajustada, a mulher passa a ter: piora no cansaço, fadiga, piora na autoestima, diminui o poder de decisão dela, libido, satisfação sexual, desejo sexual pelo parceiro ou pela parceira.

 

E a testosterona ainda tem mais benefícios: aumenta a massa magra, ajuda no emagrecimento, protege da osteoporose, e um grande tabu que a gente vence aqui na reposição – as mulheres acham que a testosterona vai masculinizar seu organismo, seu corpo.

 

Quando qualquer hormônio é bem reposto, bem indicado e de qualidade, ele não altera em nada as características sexuais e físicas de quem o recebe.

 

Entre os diversos estudos sobre reposição de testosterona em mulheres, um deles aponta para uma importante pesquisa na medicina feita entre a Grécia e os Estados Unidos (uma parceria entre os dois países).

 

O estudo concluiu que a testosterona é essencial para o desenvolvimento da saúde física e mental de ambos os sexos, e que nós precisamos abandonar mitos, equívocos e desinformação da suplementação deste hormônio tão masculino e feminino, ao mesmo tempo.

 

Porém, vale lembrar que a reposição do hormônio não é recomendada em diversos casos, como quando envolve infertilidade, certas disfunções sexuais, saúde cognitiva, ou cardiovascular.

 

Além dos efeitos colaterais clássicos que acontecem quando a paciente recebe uma dosagem acima da recomendada, como engrossamento da voz, aparecimento de pelos, e surgimento de acne.

 

Ela também pode adquirir outros sérios problemas, como doenças cardiovasculares, transtornos alimentares e até mesmo uma possível depressão depois do abandono ou da redução deste hormônio.

 

As mulheres também precisam ser extremamente cautelosas quanto ao uso do hormônio para fins estéticos, uma vez que, por ser uma prática arriscada, ela não é sempre recomendada pelos médicos.

 

Por isso, recomenda-se sempre o acompanhamento do tratamento com um profissional confiável e com experiência neste campo médico.

 

A importância do acompanhamento hormonal não deve ser descartada, muito menos a realização de exames e avaliações periódicas, que podem ser realizadas por nossos especialistas. Tudo isso para identificar ou até mesmo prevenir possíveis complicações no organismo feminino de acordo com os níveis de testosterona no corpo da mulher.

instituto abinader